Comment

5 erros comuns que eu cometia editando minhas fotografias

Olá pessoal! Vamos falar hoje sobre um assunto muito legal, que vai servir de exemplo para muitos fotógrafos que estão começando, e até para alguns que já estão na estrada há um tempo: erros fundamentais que eu cometia quando editava minhas fotografias há alguns anos atrás. Confere aí!

Então pessoal. Só um breve lembrete: nosso desafio do mês é o #desafiorua, então entra lá no instagram e marque as fotos assim que você terminar de ver nosso vídeo aqui para no final do mês a gente escolher algumas para fazer o review. Agora, sem mais delongas... vamos ao assunto!

  • Saturação e Luminância

Esse engano é cometido muitas vezes por pessoas que estão começando a experimentar os softwares de edição de imagens. A nossa tendência é sempre achar que as cores estão um pouco pálidas e quando você mexe naquela barrinha de luminância então, acaba dando aquele up na foto. Porém, se você começa a exagerar, sua foto fica extremamente “maquiada”. O que eu quero dizer com isso? Você pode usar batom, base, máscara, tanto para fazer uma maquiagem de modelo, quanto para fazer uma maquiagem de palhaço... e é isso que queremos evitar: que sua foto fique na segunda opção.

Use sempre as barrinhas de saturação, vibrância e luminância com moderação. Tenha sensibilidade e veja que na natureza, raramente você vai perceber cores berrantes e contrastes e nitidez extremamente marcantes. Eu mesmo quando vejo minhas fotos de cinco anos atrás percebo que agora é bem melhor equilibrar esses fatores.

  • Luz e sombras

Uma coisa que eu fazia até recentemente é simplesmente não dar espaço para a luz e as sombras no meu frame. Só meios tons. Isso quer dizer o seguinte: quanto aumentamos o alcance dinâmico de uma foto, às vezes, removemos as sombras e as luzes altas da minha imagem e chapamos ela como se fosse um desenho. Por isso que é muito comum que as pessoas pensem que as fotos assim são “artificiais”.

Imagine um frame que seja 100% de luz. Não tem graça né? Na verdade, você não vê nada. Assim como um frame que tenha 0% de luz. Se você tiver 100% de meios-tons, acredite, também vai complicar. O segredo, mais uma vez é o equilíbrio. O que dá tridimensionalidade às fotos são as sombras. E o que chama os olhos para o assunto são as luzes. Então, é só você usar esses dois elementos com inteligência para pontuar melhor nesse joguinho da fotografia.

Repare nessa foto aqui. Por mais que seja ótimo que você veja todos os elementos de um lugar, é muito melhor você escolher o principal e deixar outras coisas figurando, apenas para compor. Uma das formas de fazer isso é manipular as luzes e sombras ao seu favor.

  • Super HDR

Sim, eu já fui adepto dos softwares de HDR até pouco tempo. Usava o Photomatix em praticamente as minhas fotos de paisagem. Porém, o problema não está nos softwares em si. Está, mais uma vez, no exagero.

Os softwares de HDR são editores quase automáticos para suas fotos ganharem alcance dinâmico e ficarem mais vivas. No entanto, eu botava minha foto nessa maquininha e depois ela saia exagerada, com vários problemas técnicos como: halos de luz, supernitidez, supersaturação, ruídos. Mais uma vez, ficava extremamente artificial.

Se você gosta do HDR, isso é ótimo, mas use com moderação. Tome cuidado para aquele ponto de luz ou sombra na sua foto ficar totalmente chapado e suas imagens não saírem com cores que você só vai ver em um saquinho de MM’s.

  • Sombras e Highlights

Esse é clássico e confesso que tenho até um vídeo no canal que ensina a fazer exatamente o que eu vou criticar aqui: cuidado ao fazer aquele workflow padrão de aumentar as sombras e diminuir os highlights!

O que eu quero dizer: tudo DEPENDE da sua foto. Se você fez uma exposição muito clara, o que pode acontecer é você detonar o céu e chapar completamente o seu cenário. Se você fez uma exposição muito escura, você corre o risco de acabar com as suas luzes, deixando elas cinzas, e gerar um monte de ruído nas suas sombras.

Quando você fizer isso, faça com moderação. Observe o que acontece com a sua foto, e se ficou natural ou não. Claro que isso tudo é muito subjetivo, mas conforme você vai vendo outros trabalhos e praticando, a tendência é você refinar o seu olhar e passar a modular mais a sua edição e não repetir sempre as mesmas coisas.

  • Nitidez e Suavidade

O que acontece quando sua imagem está totalmente nítida? Você perde a referência, ou seja, você fica confuso, com excesso de elementos, e perde um pouco o assunto. Um exemplo é quando você faz uma foto com o fundo embaçado e outra sem. Nas paisagens, quando o fundo fica muito nítido isso também acaba tirando um pouco o realismo da imagem, pois quanto mais longe está o objeto, mais suave se torna a sua visão devido ao efeito de difração.

Quando a imagem está totalmente suave, acontece a mesma coisa. Você perde a referência. Tem a impressão que a foto está borrada, tremida, ou então sem textura e detalhes. Geralmente, se o assunto está muito suave, há uma impressão de que a foto não foi bem tirada também (exceto quando essa era a intenção).

O ideal é que você balanceie esses dois elementos na imagem. Nitidez no que interessa e suavidade nos outros elementos. Se você estiver editando um retrato, uma fotografia de ensaio, ou casamento, o ideal é que você também não exagere na luminância negativa ou na suavidade quando está tratando da pele na imagem para ela não ficar parecida com um fantasma. Todo rosto tem detalhes, e eles agregam bastante se forem mantidos, ou suavizados, mas não retirados.

É isso pessoal! Espero que tenham gostado! Compartilha nosso vídeo com aquele amigo fotógrafo para ele também não cometer mais esses enganos que eu um dia já cometi! Lembrando sempre que fotografar é arte, e mesmo que você as vezes pense diferente do seu colega, nenhum de nós está certo ou errado. É tudo uma questão de gosto pessoal! Abraços povo! Tchau, tchau!

Comment

Comment

Fotografia de Paisagem pela Europa - Eslovênia, Áustria e Itália

E aí, pessoal!
Em novembro desse ano tivemos a honra de fotografar lindíssimas paisagens de outono nas regiões dos alpes italianos (Dolomitas), Áustria e Eslovênia. Essas regiões são fantásticas nessa época do ano, com uma mistura de neve e cores de outono que são um verdadeiro festival de paisagens e composições para o fotógrafo!

Confere um pouco aí!

Comment

Comment

Máscaras de Luminosidade no Lightroom: Simples e na Prática

E aí, Lightroomzeiros? Tudo em cima?

Você sabia que você pode chegar bem perto de usar técnicas de Máscara de Luminosidade no Lightroom? Sim! Com essa nova funcionalidade, você pode aplicar edições seletivas, entendendo simplesmente como funciona essa barrinha nova que colocaram recentemente no nosso amado software.

Confere aí embaixo!

Comment

Comment

O que vem em 2018 para o nosso canal, site e fotografias?

Fala pessoal! Espero que vocês tenham tido um excelente fim de ano, com muita paz, felicidade e fotografias! Tenho certeza que esse ano vai ser um ano cheio de novidades e coisas boas para todos nós, então já estou fazendo esse vídeo aqui para vocês saberem quais são nossos projetos para esse ano no nosso canal.

Em primeiro lugar, quero agradecer, de novo, a todos aqueles amigos que comentam, que falam comigo no Instagram, no facebook e no email. Já estamos alcançando a marca dos dez mil inscritos e agora mais do que nunca sinto que temos uma comunidade aqui, e muitos de vocês que eu sigo lá no instagram tem trabalhos excelentes. Acho que isso é o que fortalece muito essa ideia que já tem dois anos de ter feito esse canal!

Bem, como eu disse, tem algumas coisas que vou começar a fazer agora em 2018 para dar uma direcionada no canal, instagram, nas minhas fotos e viagens. Agora no final de 2017, eu refleti um pouco e vi que eu estava começando a ficar um pouco entediado com relação a fotografias. Vi que existe muito conteúdo igual por aí, e não quero me tornar mais um a falar as mesmas coisas ou mostrar as mesmas fotos para vocês.

Pra começar, em 2018 quero fazer fotos diferentes e com história. Quero mais qualidade e menos quantidade. Por isso vou me dedicar profundamente a melhorar minhas habilidades, (que aliás já comecei a fazer), e me esforçar para alcançar habilidades novas na fotografia de paisagens. Quero colocar um pouco mais de significado nesse trabalho, e rechear um pouco mais as fotos com um pouco das histórias, das emoções e das sensações que tive ao tirá-las, que é o que me motiva e sempre motivou a seguir por esse caminho.

Então, pessoal...esperem um pouco mais de novidades nesse sentido, tanto aqui no canal com no Instagram.

Talvez, alguns de vocês que me seguem lá no Insta tenham visto nos meus histories que eu vou viajar em Março novamente para a Escandinávia para caçar as auroras boreais. Esse é um sonho que eu sempre tive, e estou muito animado para realiza-lo. Claro que com isso vocês podem esperar novas dicas, vídeos de viagem e todos os segredos por trás dessas fotos que vou passar aqui no canal. Aliás, se você gostaria de viajar para esses lugares em uma espécie de workshop fotográfico comigo pode deixar um comentário aí ou falar comigo nas redes sociais!

Ano passado, alguns talvez devam lembrar do nosso desafio das 52 semanas, onde cada semana eu colocava um desafio pra vocês com uma hashtag. Então... Tivemos que abandonar o projeto, pois em alguns deles a adesão estava muito baixa por ser semanal e termos apenas uma fração dos seguidores que temos hoje.

Esse ano, quero convidar vocês para um formato um pouco diferente: o desafio fotográfico mensal. Qual é a ideia? No começo do mês eu vou postar um vídeo que vai ter um tema para vocês terem o mês inteiro para fotografar e postar na hashtag que eu vou dar para vocês. No final do mês, eu vou fazer um vídeo especial com um review fotográfico de algumas fotos que eu vou escolher, aqui no canal com elogios e sugestões de melhoria. Bacana, né?

O mais legal é que vocês podem interagir pelo Instagram também para conhecer o trabalho de cada um de vocês, que tenho certeza que são muito talentosos!

Mais uma coisa pessoal, é o nosso curso de fotografia de paisagens. Eu comecei a botar a mão na massa para fazer um curso, no mesmo formato do curso básico que já temos hoje lá no UDEMY, (se você não conhece, o link tá aí em "Learning"), mas para fotografia de paisagens. Esse curso vai ter várias dicas para a galera que já conhece um pouco de fotografia, mas quer se aprofundar em algumas dicas e pós-processamento. Então, aguardem que vai ser muito legal também!

Se vocês tiverem alguma sugestão do que vocês querem ver, tipo, mais fotografia em campo, mais conceitos, mais equipamentos, me falem também aqui nos comments ou nas redes sociais que eu vou tentar atender o máximo possível para fazer um produto final bem bacana.

Não esqueçam de assinar a nossa lista de e-mails lá no site. Sempre que sair alguma novidade do tipo, vocês vão receber direto aí na caixa de e-mails. Não se preocupem, que eu não sou de ficar enviando e-mails em sequencia, nem fazendo promoções e spam. Então, quando for importante, vocês vão realmente saber de mim.

Bom galera, vamos então já começar a cumprir a primeira promessa: Nosso desafio do mês para o review fotográfico é: Paisagens. O que eu gostaria de ver lá na hashtag são: lugares belos, contrastes, composições originais, mas com alguma história... algo que me prenda realmente na imagem, ou me faça ficar curioso sobre ela. Se vocês já tem alguma foto, ótimo! Vai lá no Instagram e posta logo na hashtag #desafiopaisagem, senão mais um motivo para você pegar a câmera e sair por aí praticando.

Um ótimo ano para vocês pessoal! Já vou dar uma olhada aqui pra ver se tem alguma coisa postada! Abraços! Tchau, tchau!

Comment

Comment

Lentes Econômicas para Fotografia de Vida Selvagem e Esportes

Olá pessoal! Tudo tranquilo? Hoje é a vez de falarmos um pouco sobre as lentes econômicas tele pra sua câmera. Se você é aficionado por vida selvagem, esportes e outras modalidades de fotografia que nem sempre você pode estar pertinho do assunto, dá uma conferida nessas opções baratas que vamos falar aqui hoje para você já ir treinando! Ah, e lembrando que essas lentes também são uma boa opção para você complementar sua fotografia de paisagens. Vamos lá!

70 ou 75-300mm Canon e Nikon

Essas lentes são muito boas e versáteis para a sua câmera cropped. O range de 70 ou 75 a 300 confere uma boa utilidade se você quer fotografar qualquer tipo de ação à distância, seja de um pássaro, um animal, ou até mesmo aquela pelada do fim de semana. O f dessa lente não é perfeito, principalmente em 300mm, mas a dica que eu dou para quem tem que enfrentar esse problema é aumentar o ISO mesmo para conseguir fotos rápidas, acima de 1/500s. Se você quer começar a se aventurar nas teles, essa escolha é um bom começo.

55-250mm Canon e Nikon

Essa lente também é muito versátil, e boa para pegar desde um range perto do normal, até uma tele razoavelmente boa. Muitas pessoas usam essa lente para viagens, já que você pode fotografar elementos à distância e também um pouco mais próximos com relativa facilidade sem incomodar. Alguns usam essa lentezinha até como auxiliar para fotografar casamentos e eventos, já que você pode pegar aqueles momentos mais descontraídos, no estilo fotojornalismo. O f também não é dos mais ideais em 250mm, mas novamente eu digo: brinque com o ISO da câmera para conseguir resultados melhores. Mais uma lentezinha barata que pode te ajudar a fazer uma graninha ou aprender bastante no começo!

70-200mm f/4 Canon

Eu usei essa lente por muito tempo para fotografar paisagens, casamentos e cheguei até a fazer algumas fotos de futebol americano na areia com ela. Eu acho o custo benefício dela fantástico, já que é uma lente de absoluta qualidade, com f/4 em toda a extensão do zoom por um preço bastante módico. Tem duas versões dela: a com estabilização que é mais cara, e essa aqui, que tem o preço bem razoável. Se você quer qualidade e leveza em uma lente econômica eu recomendo fortemente. O único problema dela é que o range de 200mm não chega a ser uma super tele, principalmente para quem está fotografando um safari, ou um esporte em uma arena grande.

150-600mm f/5.6-6.3 Sigma e Tamron

Essas duas lentes são o que há de mais novo e econômico no campo das superteles hoje. Eu queria conferir e comparei as duas antes de comprar a minha, que é uma Sigma 150-600mm, e achei elas muito parecidas. A Tamron é mais barata ainda que a Sigma, apesar de elas não estarem no rol das lentes super econômicas. Mas, se você já saiu do iniciante e quer algo mais robusto, principalmente para fotografar pássaros, animais selvagens e até mesmo arriscar umas fotos de esporte, qualquer uma dessas é uma escolha estupenda. Se você quiser mais detalhes tem até um review da sigma aqui no canal. Procura aí!

É isso, galera! Espero que vocês tenham gostado! Lembrando que algumas opções dessas são só para as cropped, e isso aumenta mais ainda o range das lentes. É só multiplicar pelo fator de corte da sua câmera.

Um abraço para todos!

Comment

Comment

Pilulas de honestidade sobre a fotografia (Negócios, Talento, Aprendizado e Humildade)

Que tal um pouco de honestidade hoje? Todos sabemos que não basta ter apenas habilidade e talento. Sucesso na fotografia é formado por alguma dose de trabalho duro e alguns outros fatores. Vamos falar sobre eles?

1.       Sobre negócios

Não espere que você vai começar bombando na fotografia e ganhando milhares de reais com apenas um ensaio, ou um trabalho que você for contratado. Conheço vários fotógrafos famosos que ralaram muito para chegar lá, com o equipamento que tinham e que não eram nada profissionais. Alguns levaram anos. Outros ainda estão na ralação. Tem um monte de gente boa por aí.
A grande verdade é: quando se começa alguma coisa, provavelmente você vai ser um merda nela. É isso mesmo. Um merda. E não tem nada de errado com isso. O que você tem que saber é: é isso mesmo que você quer? Você está disposto a passar alguns anos estudando e ralando por isso? Isso é que vai fazer a diferença. Eu tenho certeza que se você seguir esses conselhos, e procurar sempre ser criativo, em poucos anos você destacar seu negócio de alguma forma.

2.       Sobre talento

Sabe um iceberg? Então. Essa é minha opinião sobre talento. É só a ponta do iceberg. Se você olhar o Michael Phelps e disser: nossa ele nasceu pra isso! É muito talentoso! Eu vou dizer pra você: olhe de novo. O cara treinava desde os 7 anos de idade, foi diagnosticado com déficit de atenção, começou a se destacar aos 10, e aos 15 foi classificado para as olimpíadas. Até aí foram 8 anos de treinos! Hoje com 32 anos ele é o maior medalhista de todos os tempos, somando o total de 24 anos de treinos diários, alimentação adequada, e muito suor.
Resumindo: trabalho duro é o que sustenta o talento. Se você olhar para 80% dos grandes atletas, artistas e fotógrafos você vai descobrir isso. Uma frase famosa que eu gosto muito sobre isso é: “O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário”.

3.       Sobre aprendizado

Aprendizado pra mim é a chave para o sucesso. Até mesmo o trabalho duro e a repetição não adiantam nada se você não aprender alguma coisa com isso, e se adaptar. Eu tenho experiência que aqueles que já chegam de copo cheio em qualquer lugar, não tem espaço suficiente para novos aprendizados. Isso tem bastante a ver com a humildade que é o nosso próximo tópico.
Você tem que ter um nível de autocrítica para poder avaliar o seu trabalho, se expor, mas não de forma exagerada para não ficar paralisado. Olhe o trabalho de ídolos e grandes fotógrafos. Tente imitar se precisar! Aprenda, adapte, e aí desenvolva o seu próprio estilo. Não tenha vergonha de aprender com os outros. Na verdade não existe isso de “meu trabalho”. Você teve várias inspirações e ajuda de centenas de pessoas na sua caminhada. A verdade é que estamos sempre sobre ombros de gigantes.

4.       Sobre humildade

Então... Legal, você chegou lá! Ganhou prêmios, é reconhecido, vive de fazer o que gosta e está feliz... Só que você não trata as pessoas bem. Na verdade, você não é nada humilde, não aceita sugestões, não aprende mais nada. Esse comportamento, hoje, está ficando cada vez mais inaceitável em um mundo conectado e ágil. As celebridades aparecem e somem do dia pra noite. Os conhecimentos e as tecnologias mudam. E você, bem, se você não for humilde, você vai sumir. Da noite para o dia.
A humildade é o alicerce para você conquistar mais clientes, seguidores, conhecimentos, parcerias, amigos... tudo na vida! Se eu tivesse que escolher entre uma pessoa para trabalhar comigo que não soubesse nada e fosse humilde, e uma que fosse um profissional arrogante, com certeza eu optaria pela primeira. Ensinar coisas, a gente sempre pode, mas mudar o coração e a cabeça de alguém, é sempre muito mais difícil.

Comment

Comment

Lentes Econômicas para Ensaios, Casamentos e Fotografia de Rua

E aí, pessoal! Tranquilo? Seguindo a nossa serie, hoje, vamos falar sobre lentes para ensaios e fotografia de rua que cabem no seu bolso. Esse post é bem legal por que eu tenho certeza que muitos de vocês estão começando nessa carreira fotográfica e um equipamento bom e econômico é perfeito para tirar fotos maravilhosas e bombar o seu negócio com qualidade. Então, vamos lá?

50mm f/1.8 (Nikon e Canon) (Cropped e FF)

A cinquentinha é um clássico das lentes, tanto para a Nikon quanto para a Canon. Essa lente é barata, e oferece uma qualidade fotográfica excelente, principalmente para os que estão começando no mercado de fotografia como ensaios, newborn e casamentos. Eu tenho a minha até hoje e só parei de usar porque ganhei uma 50 1.4 em um concurso fotográfico da Canon. Se eu for recomendar uma lente para você ter sempre por perto, é essa mesmo!

85mm f/1.8 (Canon e Nikon) (Cropped e FF)

Eu acho essa lente maravilhosa pelo range que ela tem e sua abertura de 1.8, por um preço bastante moderado. Para ensaios e casamentos ela é sensacional, apesar de ela ser uma lente prime, ou seja, ter sua distancia focal fixa. Sabe aqueles momentos que você quer pegar de longe, sem interferir, mas com toda a classe de fazer um belo bokeh e ainda fotografar em situações de pouca luz? Essa é a escolha certa. Já está na minha lista ter uma para fazer imagens diferenciadas, principalmente para fotografia casual de viagens e de rua.

Sigma 17-50mm f/2.8 (Cropped)

Se você quer uma lente versátil que vai chegar perto das funcionalidades de uma 24-70 2.8, essa é uma escolha interessante. Já vi um review dessa lente elogiando bastante sua capacidade e funções gerais. O único problema é que ela, em grande angular pode deixar o foco suave nas bordas e dar um pouco de aberração cromática. No entanto, se você não for fotografar para revistas, e não for apegado em grandes detalhes, essa lente é perfeita. Além de bem mais barata que a famosa 24-70, essa lente pode te dar poder de fogo para fotografar em condições de pouca luz e versatilidade no meio de um casamento ou ensaio.

24 2.8mm (Pancake)

Essa lente parece uma panquequinha e por isso o nome dela. Você olhando rápido pode não dar nada por ela, mas é uma baita lente para uma visão mais ampla com uma captura de luz melhorada. Quem fotografa ensaios, principalmente em ambientes com pouca luz sabe a importância de uma lente aberta e clara que pode ser usada de forma a compor as fotos certas. Para fotografia de rua, também acho essa lente excelente pelos mesmos motivos. Quem gosta de captar a atmosfera urbana, com stops a mais de luz, e ainda arrisca aquelas fotinhos noturnas, essa escolha aqui é muito legal, leve e barata

18-135 ou 18-140mm f/4.5-5.6 (Cropped)

Se você quer versatilidade a um custo baixo, essa escolha é perfeita para os iniciantes. Essas lentezinhas chegam a vir no kit das câmeras canon ou Nikon, dependendo do modelo que você compre, e elas são excelentes para você fotografar, desde um panorama mais aberto, em um ensaio ou casório, até mesmo pegar aquele zoom com uma emoção especial na hora H. Sem contar que é um saco ter que trocar de lentes toda hora, no meio da ação, né? Com essas objetivas, você evita um pouco isso, agregando em velocidade e se importando apenas com a composição.

Comment

Comment

Lentes Econômicas pra Fotografia de Paisagens

Fala galerinha! Tudo tranquilo? Então... nosso post de hoje é o primeiro de uma série para responder uma pergunta recorrente de vocês aqui no canal que é: quais são as melhores lentes para eu comprar para minha câmera e que cabem no meu orçamento?

Eu estou fazendo esse post primeiro para paisagens, mas em breve vou colocar também as lentes para ensaios, fotografia casual, vida selvagem e as versáteis que são aquelas que você pode levar contigo e serve para de tudo um pouco. A maioria dessas lentes é para câmeras cropped. Vamos dar uma olhada?

10-18mm Canon (Cropped)

Essa lentezinha e fera e bem barata também principalmente para quem quer começar na fotografia de paisagens. A 10-18 custa em media 1200 reais e consegue alcançar um range interessante para as câmeras cropped. O f dela não chega a ser um problema, principalmente se você for usar so para paisagens, já que provavelmente você vai usar um tripé e colocar aberturas menores. Com o fator de corte, ela pegaria um range de 16 a 28mm em media que e excelente!

10-20 Sigma (Canon e Nikon) (cropped)

A 10-20 da sigma e um pouquinho mais cara, mas uma opção mais interessante se você ainda quer arriscar umas astrofotografias. O f3.5 dela não chega a ser perfeito para esse fim, mas e excelente para os entusiastas, sem contar que ainda te da uma claridade a mais nos momentos que você precisa. De resto, igual a 10-18, essa lentezinha vai te dar poder de fogo para fazer fotos grandes angulares e de paisagens bem perto de outras lentes profissionais. Então, se você quer uma opção um pouco mais robusta, considere essa Sigma também na sua compra.

17-40mm Canon (Cropped e FF)

A 17-40 da Canon é uma opção interessante para aqueles que tem uma full frame. A qualidade das imagens é bastante boa e o range varia do grande angular até mesmo uma fotografia mais casual, se necessário. Isso agrega em versatilidade, e eu sempre digo que para quem quer levar pouco peso na mochila, versatilidade é fundamental. Eu não escolheria essa para uma câmera cropped, mas para uma full frame, se eu tivesse um orçamento apertado, certamente pensaria nela para concorrer com a 16-35mm que é mais cara.

Tokina 11-16mm f/2.8 (Cropped)

Essa lente aqui, pessoal é uma das lentes mais bem avaliadas para paisagem e astrofotografia para quem quer começar nas cropped sem fazer um rombo no orçamento. O f2.8 dela é incrível, e com esse range você pode fotografar tranquilamente paisagens com aquela visão grande angular perfeita. Muitas pessoas discriminam as marcas alternativas, mas é como eu digo: pesquise um pouco e você vai ver que existem muitas lentes sensacionais hoje em dia que não são das marcas da moda.

É isso aí galera. Essas são algumas das lentes para paisagens que eu recomendo para as cropped, e a 17-40 para a Full Frame, que cabem no bolso, sem sacrificar a sua foto. Lembrando que vamos nos próximos falar sobre outros tipos de lentes para as outras áreas da fotografia, então, se inscreve aí para não perder! Abraços!

Comment

Comment

Por do sol x Nascer do Sol – Qual é a melhor hora para fotografar?

Muitos fotógrafos já sabem que uma das melhores horas para fotografar é a hora dourada, que é quando o sol está nascendo, ou se pondo. Talvez, uma das coisas que eles não saibam é que há algumas diferenças entre esses dois horários, alguns bem óbvios, mas outros, nem tanto. Vamos dar uma olhada?

Em primeiro lugar, se me perguntarem qual é o melhor: pôr do sol ou nascer do sol, eu vou dizer: Depende! Eu confesso que para mim é mais fácil fazer fotos no pôr do sol do que no nascer. Acordar muito cedo, preparar as coisas e quase sempre sair sem tomar café da manhã é bem complicado, mas as vezes em alguns lugares você tem que fazer esse sacrifício.

Cheque a posição do pôr do sol e do nascer para ver qual é o melhor dependendo do local. Eu já fiz fotos em lugares que eram igualmente belos em ambos os horários, mas completamente diferentes. Outros lugares, simplesmente são maravilhosos ao pôr do sol, mas ao nascer do sol são normais. Então, a lição é: use um app para ver a posição do sol, pesquise fotos de outros fotógrafos, e veja qual é mais interessante.

Um outro ponto, que muita gente não presta tanto atenção é que, geralmente, no nascer do sol, os lugares turísticos são mais vazios. Se não fizer tanta diferença em termos de qualidade da luz, é preferível você ir no nascer do sol, já que se for um lugar popular, você vai ter muito mais tranquilidade. A exceção é quando o pôr do sol for bem tarde nos verões dos hemisférios. Tente se programar para fotografar tarde, e aproveite, por que você também não vai ver muita gente disposta a ver o sol se pôr às 10 da noite.

Se você quiser fotografar pessoas na sua paisagem, pode inverter essa lógica!

No final das contas eu diria para você sempre que puder tentar os dois. As fotos com certeza ficarão belas de uma maneira diferente, e você ainda pode pegar condições diversas de clima, iluminação e tentar composições diferentes.

É isso, galera! Se gostou, segue a gente e compartilha com os amigos. Assim você ajuda a gente continuar produzindo nossos vídeos e ajudando mais pessoas ainda! Um abraço! Tchau!

Comment