Pouco tempo para fotografar cada local

Há uma diferença fundamental entre uma viagem turística e uma viagem fotográfica: o tempo que você vai ficar em cada lugar e os momentos certos. Em uma viagem turística quase sempre o que importa é você conhecer o máximo de lugares no menor período de tempo, e descansar bastante. Já na viagem fotográfica, você vai ter que ralar um pouco mais. Planejamento, acordar antes do sol, dormir de madrugada, fazer longas trilhas para pegar o ângulo e o momento certo.

Prefira mais tempo, em menos lugares. Vá preparado para o clima, fique depois que as pessoas saírem e chegue antes delas chegarem. Pense bem... como você vai se destacar se faz as mesmas imagens de todos os outros?

Seja flexível (Clima, imprevistos do local...)

Cara, nesse tempo que tenho de experiência como fotógrafo de paisagem posso dizer: é osso! No começo eu já ficava nervoso quando o clima piorava, ou quando uma trilha estava fechada por causa de problemas que não estavam no meu controle. Adiantava? Não mesmo.

Então, um bom fotógrafo de paisagem tem que ser resiliente, flexível. É isso. Transforme os limões em limonadas e trate de fazer fotos boas com o clima bom, ruim, faça outro caminho, outra trilha, e lembre-se que sempre há outras oportunidades por aí enquanto você está choramingando.

Equipamentos ruins

Eu tenho algumas histórias tristes de equipamentos ruins que comprei que me deixaram na mão na hora. Mas, adivinha de quem é a culpa? Minha. Claro que é uma droga você ser enganado por uma qualidade inferior, mas por que não pesquisei? Por que não desconfiei do preço baixo?

Já comprei tripés que não aguentavam a câmera, travaram, filtros que atrapalhavam mais que ajudavam, baterias que descarregavam do nada... Nunca aconteceu com memory card, mas imagina: você perder as fotos todas da viagem por causa de uma pão-durice sua? Uma coisa é certa: se você teve dinheiro para viajar, comprar câmeras e lentes, por que não comprar um equipamento confiável?

Apenas 20% do trabalho

Eu simplesmente achava que tirar a foto de paisagem perfeita dependia apenas de duas coisas: um equipamento poderoso e sorte. Engano meu. Fazer a fotografia de paisagem perfeita depende do pré-viagem, durante o planejamento. Depende de você cumprir o que planejou. Depende de durante, você ter a habilidade suficiente para manipular o seu equipamento. Depende de depois, você fazer um pós-processamento de qualidade. E por aí vai...

Na verdade, aquele momento glorioso de apertar o botão da câmera, apesar de muito importante é apenas 20% do trabalho. Então, como um atleta que tem seu auge com a medalha de ouro, não se iluda, há muito treino e planejamento por trás.

Como está a sua orquestra?

Você já ouviu uma banda top de rock, ou uma orquestra? Cada instrumento está lá para desempenhar o seu papel. Alguns de fundo, em momentos certos, alguns predominando, ditando o ritmo. E o que isso tem a ver com a fotografia? Tudo.

A foto é como uma orquestra. Cada cor, luz e elemento está lá para desempenhar o seu papel. Uns são protagonistas e outros são coadjuvantes. Imagina se você começa uma música com todos os instrumentos tentando se destacar, junto com a voz? Vai ficar uma zorra tremenda. Na imagem, você deve também saber dosar a luz, as cores, os elementos. Tudo deve ser um jogo de mostrar e esconder. De suspense e ação.

Como fazer isso? Esse é o segredo dos mestres da fotografia. Conheça as teorias de cores, luzes e sombras. Composição. Estude. Não tenha vergonha de editar e compartilhar sua foto para receber críticas construtivas.

E vocês? Quais os pecados que já cometeram na fotografia de paisagens? Algum desses aí acima?

Espero que tenham gostado, galera! Se gostou, segue a gente e compartilha com os amigos. Assim você ajuda a gente continuar produzindo nossos vídeos e ajudando mais pessoas ainda! Vejo vocês no próximo vídeo! Abraços!

Comment